Técnicas para codificar um e-mail

No início da minha carreira como desenvolvedora front-end, tive que codificar o meu primeiro e-mail marketing (aqueles e-mails promocionais que você geralmente recebe de um e-commerce). Como não conhecia muito sobre como funcionavam os clientes de e-mail, fiz o código como se estivesse codificando um site: usei várias propriedade de css, abusei da propriedade float (que na época era moda), usei classes e coloquei todo o css dentro da tag style. O e-mail ficou igualzinho ao layout desenvolvido pelos designers, mas quando fiz o primeiro teste de envio, nada do que tinha feito refletia o que esperava. Afinal, por que o e-mail era renderizado de forma diferente após o envio?

A resposta é simples: os clientes de e-mail, por questões de segurança, não aceitam a maior parte das técnicas que utilizei. Eles esperam que o e-mail seja codificado como se estivéssemos na época do HTML 2.0. Ou seja, layout montado a base de tabelas, css inline e só as propriedades mais básicas, como font-size, border, width, height, etc.

É claro que, desde então, muitas coisas evoluíram e hoje conseguimos utilizar mais recursos. Neste post, irei descrever um pouco essas mudanças e demonstrar algumas técnicas novas para montar um e-mail.

Para facilitar a explicação, vamos montar o seguinte e-mail:

Layout do e-mail

Background

Primeiramente, vamos adicionar a cor azul (#798C98) no fundo do e-mail. Normalmente, adicionaríamos no body a propriedade background-color: #798C98, mas infelizmente as regras adicionadas diretamente ao body não funcionam na maioria dos clientes. Portanto, vamos seguir com uma outra abordagem.

A forma mais aceita em todos os clientes de e-mail é criar uma table para simular a tag body que irá ocupar todo o espaço horizontal do e-mail. Mesmo não sendo semanticamente correta, esta ainda é a melhor abordagem.

Para adicionar a cor, vamos adicionar o atributo bgcolor na table criada e, como não temos um reset para os padrões de cada navegador (para remover os espaçamentos desnecessários, internos e entre as células), vamos adicionar as propriedades cellpadding="0" e cellspacing="0".

E, por fim, para que o e-mail ocupe toda a largura possível, vamos adicionar o atributo width="100%". Ficaria da seguinte forma:

E-mail ocupando 100% da largura

<body>
  <table width="100%" bgcolor="#798C98" cellpadding="0" cellspacing="0">
        <tr>
            <td>Teste</td>
        </tr>
    </table>
</body>

Podemos utilizar também utilizar o atributo style e utilizar a propriedade background-color: #798C98 que teremos o mesmo efeito.

Container

Vamos adicionar agora um container para envelopar o nosso conteúdo e limitar a largura do nosso e-mail para 600px - geralmente é o padrão de largura dos e-mails, mas nada impede de usar um valor maior ou menor - recomendo usar a unidade em pixels porque a baseline do tamanho da fonte varia de acordo com o cliente de e-mail.

Para isso precisaremos criar uma nova tabela, que será o nosso container, com os mesmos resets de espaçamento. Definimos então a largura para 600px e adicionamos um fundo branco. Ficaria assim:

E-mail limitado a um container de 600px

<td>
    <table bgcolor="#ffffff" width="600" cellpadding="0" cellspacing="0">
        <tr>
            <td>Teste</td>
        </tr>
    </table>
</td>

Mas definir a largura para 600px fixo acaba acarretando problemas quando estamos visualizando em telas menores, como um celular. A largura não se ajusta e cria aquela barra de rolagem horizontal indesejada. Para que o e-mail se ajuste, teríamos que alterar a largura para ocupar o espaço total (100%), mas isso não limita que tenhamos no máximo 600px no nosso e-mail. Como obter o melhor dos dois mundos?

A solução é simples: podemos fazer como na web, onde o container ocupa o quanto conseguir, mas limitado a uma largura máxima: o max-width. Aplicando isso no exemplo:

<td>
    <table bgcolor="#ffffff" style="max-width: 600px" width="100%" cellpadding="0" cellspacing="0">
        <tr>
            <td>Teste</td>
        </tr>
    </table>
</td>

O max-width é uma propriedade aceita na maior parte dos clientes de e-mails utilizados hoje. Nos testes que fiz, os únicos que não apresentaram o layout como desejado foram os Outlook 2007, 2010 e 2013.

Centralizar o corpo do e-mail

O nosso container ainda não está alinhado no centro; como podemos fazer isso? Usar o clássico margin: 0 auto, que faz com que o navegador calcule automaticamente as distâncias em volta do e-mail e alinhe no centro? Mas isso funciona em todos os clientes de e-mail?

O margin: 0 auto já é bem aceito nos clientes mais modernos. Os únicos que não dão suporte, dentre os que foram testados, são os Outlook 2007, 2010, 2013 e no app nativo do Windows Phone. Mas para dar suporte a todos, a forma mais aceita ainda é usar o atributo align na td que envolve nosso container. Isso faz com que o navegador entenda como deve centralizar os textos e elementos internos. No nosso exemplo ficaria assim:

<td align="center">
    <table bgcolor="#ffffff" style="max-width: 600px" width="100%" cellpadding="0" cellspacing="0">
        <tr>
            <td>Teste</td>
        </tr>
    </table>
</td>

Podemos também utilizar a tag <center> para envelopar a nossa table que serve como container. Assim como no exemplo, a tabela ficaria centralizada; entretanto, esta tag não funciona no Yahoo Mail.

As técnicas apresentadas funcionam nos seguintes clientes de email:

Web

Gmail Inbox Outlook Yahoo
Chrome
Safari
Firefox
IE11 -
Edge
Chrome App -
Firefox App -
Safari App -
Edge App -

Mobile

Gmail App Inbox App Outlook App Yahoo App
Android
iOS
Windows Phone - - -

Aplicativo Outlook

2007 2010 2011 2013 2015
Oulook ✗¹ ✗¹ ✗¹

¹ A propriedade max-width não funciona

Conclusão

Essa foi a primeira parte de uma série de posts sobre como codificar um e-mail. Neste primeiro artigo, aprendemos a criar a base do layout. No próximo, iremos falar sobre as diversas formas para lidar com espaçamentos.

E você? Já passou por problemas parecidos? =]